Quer uma moto para o inverno ou verão? Veja as melhores opções para cada estação

Você sabia que existe uma moto ideal para você dependendo das suas prioridades? Além de preço, otimização de bateria e uso de combustível, também vale considerar o clima na sua região. Isso mesmo, existem alguns modelos mais recomendados para estações como o inverno e o verão. Se está pensando em comprar uma moto, veja qual a melhor opção para o momento:

Inverno

Yamaha MT 03 2020

É preciso concordar que a forma como dirigimos no inverno exige mais cautela. Por isso, é preciso estar atento a uma moto que preencha alguns requisitos. Como a estrada fica mais escorregadia devido ao clima e a chuva, o ideal é apostar numa moto que possua tecnologia e desempenho positivo. Um bom exemplo deste tipo de veículo é a Yamaha MT 03 2020.

Esta moto traz freios potentes, o que vai representar mais segurança para o motorista na hora de dirigir. Sem contar que apesar de parecer difícil de conduzir por seu peso e tamanho. a MT possui uma direção acessível. Você também vai gostar de saber que este modelo é referência quando o assunto é iluminação na pista, ou seja, representa ainda mais conforto e segurança para quem vai dirigir por ai no inverno.

Yamaha Fazer 250 2020

O principal ponto a ser observado ao dirigir nesta época do ano é a segurança. Por isso, busque a ficha técnica de qualquer modelo que você esteja de olho. Uma boa opção quando o assunto é segurança é a Yamaha Fazer 250 2020O modelo está totalmente apto para freagens bruscas em questão de segundos.

A moto também promete maior visibilidade  apra o motorista, sem contar que proporciona o consumo consciente de combustível. Ou seja, é líder em diversas categorias.

Verão

YBR 150 Factor 2020

Com o verão, o principal ponto é encomia de combustível, resistência e desempenho na estrada. A nova YBR 150 Factor 2020 é um modelo que trará tudo isso para o seu comprador.

A expectativa é que este modelo tenha uma ótima atuação em diferentes estradas. Também é válido mencionar que as atualizações da YBR permitem a maior dissipação do calor do motor.

Honda Touring

Como você já vai estar dirigindo no calor, o ideal é que opte por modelo confortável e fácil de manobrar no trânsito. Uma boa dica para esta categoria de busca é a Honda Touring.

Você vai gostar de saber que a Touring tem um dos melhores desempenhos em curvas, sem contar que o se visual esportivo também chama a atenção do público.

Como uma dona de casa pode contribuir ao INSS?

Todos têm direito de ser beneficiários do INSS. O valor pago pela instituição é uma forma de se manter financeiramente quando está impedido de realizar atividades remuneradas, ou optou pela aposentadoria. Para as donas de casa não é diferente, mesmo que não recebam salário elas podem contribuir mensalmente com o INSS e requerer todos os auxílios fornecidos.

Qual a importância de contribuir com o INSS?

Milhares de brasileiros contribuem com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Uma instituição que cuida do recolhimento de valores mensais que em eventualidades servirão para indenizar os contribuintes.

As empresas com funcionários registrados em carteira de trabalho cuidam de descontar do salário bruto do trabalhador uma porcentagem para encaminhar ao INSS. Mas, aqueles que não são registrados podem fazer a contribuição de forma individual.

O interessante de ser assegurado é que além de conseguir a aposentadoria, o Instituto garante o recebimento de auxílio nos casos de:

  • Doença;
  • Morte;
  • Maternidade;
  • Acidente;
  • Reclusão;
  • Salário família.

Contribuição por dona de casa

Embora as donas/donos de casa não possuam salário mensal fixo, e dependam muitas vezes da renda do cônjuge ou de eventuais atividades remuneradas. O INSS possibilita que pessoas nesse perfil realizem a contribuição e possam se beneficiar dos auxílios prestados.

Existem duas formas de contribuir com o INSS na condição de dona de casa:

  • Opção 1: Como pessoa de baixa renda. Contribuindo mensalmente com valor equivalente a 5% do salário mínimo. Declarando não exercer atividade remunerada, não receber nenhum tipo de renda e estar inscrito no CadÚnico;
  • Opção 2: Contribuição individual de 11% ou 20%. No caso de 11% será sobre o valor do salário mínimo e na aposentadoria terá direito ao preço atual do salário federal. Em 20%, o valor varia entre o mínimo e o teto máximo de recolhimento, nesse caso a aposentadoria é maior que o salário federal.

Todos os valores de alíquota para cada tipo de contribuinte está previsto na tabela do INSS 2019, que pode ser atualizada pelo INSS.

Iniciar contribuição ao INSS

Para dar início a sua contribuição, a dona de casa pode comparecer até uma agência do INSS e solicitar o início do processo. Mensalmente será necessário pagar a guia de recolhimento, documento que pode ser emitido no site oficial do Instituto.

Para solicitar algum benefício também é necessário comparecer até a agência e comprovar, dentro das condições estabelecidas, que cumpre com as exigências para dar início ao recebimento do auxílio.

6 coisas que você deve levar em conta antes de montar um restaurante

Um comércio, independente do segmento, é sempre muito valorizado. E quando se trata do meio alimentício, como uma lanchonete, pizzaria ou restaurante, o sucesso tende a ser muito maior. Já que os brasileiros não deixam de priorizar o lazer de fazer um lanche diferente, e valorizam os locais que oferecem comida de qualidade. Mas, antes de montar o seu restaurante alguns pontos precisam ser pensados.

O que preciso para montar um restaurante?

O primeiro passo antes de montar qualquer tipo de comércio é planejar, criar um plano de negócios traçando as metas e objetivos do seu empreendimento. Dessa forma, torna mais fácil limitar qual a finalidade do seu comércio.

Depois que definir qual ramo vai seguir, por exemplo, restaurante árabe, de comida caseira, japonês, rodízio, bistrô ou outros. É preciso pensar no cardápio, o que será oferecido dentro desse segmento.

Além disso, você precisa de profissionais bem qualificados. Do faxineiro ao chefe de cozinha, todos precisam trabalhar empenhados em fazer do seu estabelecimento o melhor da região.

Não se esqueça do material. Isto é, as panelas, copos, guardanapos, talheres, pratos, mesas, cadeiras e etc. Esses pontos precisam ser bem pensados, para higiene e conforto do seu cliente.

Cursos indicados para quem deseja inaugurar um restaurante

Se especializar em áreas que possam te ajudar na inauguração do seu restaurante é uma forma de buscar pelo sucesso. Não é preciso ser um grande chefe de cozinha para ter um comércio especializado em alimentos.

Mas, caso possua familiaridade com a produção de alimentos, o indicado é procurar por cursos na área de atuação do seu restaurante. Quer dizer, se especializando e obtendo novos conhecimentos.

Outro curso indicado é o de planejamento e finanças. Não necessariamente uma faculdade, mas cursos livres promovidos por instituições públicas ou particulares. A finalidade é aumentar as chances de sucesso do seu comércio.

6 dicas para quem deseja montar um restaurante

Quando decidir que esta é realmente a sua vontade, o novo comerciante e empresário precisa levar alguns pontos em consideração. Veja 6 dicas que podem te ajudar a montar seu restaurante:

  1. Analise o mercado: quantos restaurantes desse segmento existem na região? Quais pratos fazem mais sucesso? Quais valores são cobrados?;
  2. Entenda o perfil do seu público: se o restaurante é para família o cardápio precisa de opções infantis, bebidas sem álcool, e infraestrutura adaptada;
  3. Coloque no papel o quanto pode investir: é necessário considerar o valor de investimento, e entender que o lucro não virá nos primeiros meses;
  4. Funcionários: caso consiga, substitua alguns dos funcionários por familiares próximos. Além de diminuir gasto, o restaurante será a “cara” de vocês;
  5. Infraestrutura do local;
  6. Possibilidade de crescimento: trace metas de médio e longo prazo.

É possível trabalhar em bancos públicos sem concurso?

Quem trabalha em uma instituição financeira pública irá dispor de diversos benefícios, e estas regalias fazem com que as vagas disponíveis sejam sempre muito concorridas. Tem mais gente querendo trabalhar nos bancos do que vagas ofertadas e deste modo, os concursos são a melhor opção. Mas será que é possível trabalhar em bancos públicos sem prestar concurso? Leia o texto a seguir e entenda.

Quais os benefícios de trabalhar em um banco?

Como mencionado, quem trabalha para cargo público em instituição financeira irá se utilizar de várias regalias. Uma delas é a alta remuneração, o que geralmente atrai muitos candidatos para o concurso.

Quem já está se preparando para os concursos 2019, vai gostar de saber que estes cargos em instituição pública proporcionam estabilidade financeira e na sua carreira.

Outro ponto importante a ser mencionado, é a carga horária mais flexível para esta categoria de trabalhadores, com média semanal de 30 horas. O servidor pode dispor também de plano de saúde, plano odontológico, vale alimentação, vale-cultura, entre muitos outros benefícios.

É possível trabalhar em banco público sem prestar concurso?

Como as vagas que ficam disponíveis periodicamente através de concurso são bastante concorridas, muita gente se pergunta quanto a outro método de ingressar em instituições do setor público.

Bem, os cargos oficiais dos bancos públicos só podem ser preenchidos de maneira efetiva através de prestação de concurso. entretanto, o programa Jovem Aprendiz proporciona o ingresso em grandes instituições como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, por exemplo.

Para participar da iniciativa, o jovem deve preencher alguns requisitos básicos, como por exemplo, ter idade entre 14 e 24 anos. Isto quer dizer que quem almeja trabalhar na Caixa ou em outro banco e não está de acordo com o regulamento do Jovem Aprendiz, só poderá alcançar um cargo nas instituições prestando concurso Caixa Econômica 2019 ou qualquer outro.

Como me preparar para o concurso?

Quem vai prestar concurso, precisa ter em mente que a preparação é necessária. Em primeiro lugar,você deve verificar os cargos disponíveis, que podem ser para nível médio ou nível superior.

Cada concurso vai dispor de assuntos específicos, por isso, o ideal é você se preparar para um exame de cada vez. Na internet, você irá encontrar apostilas para auxiliar no seu estudo e até existem cursos online e presenciais para quem precisa de uma ajudinha.

Também é válido observar as clausulas do edital do concurso e os assuntos que serão abordados. Elabore um plano de estudos e se prepare o quanto antes!

Organize suas finanças para iniciar o ano com o pé direito

Com o começo do ano surgem novas dívidas, mas em contrapartida, também surgem possibilidades de mudança financeira. Se você passou o último ano apertado, saiba que organizando as suas finanças da maneira certa você pode mudar o ritmo para o ano que vem. Confira a seguir algumas dicas financeiras para inciar o ano com o pé direito.

Prepare-se para os impostos obrigatórios

Todo começo de ano traz a cobrança dos impostos obrigatórios. A dica é que você esteja preparado para eles e não atrase nenhum pagamento para não acabar sendo multado. Você deve estar atento às datas e valores do licenciamento 2019.

E vale lembrar que o licenciamento do veículo só pode ser realizado após o cumprimento do DPVAT e do IPVA. Portanto, antes de pagar o licenciamento 2019 BApor exemplo, você deve cumprir os outros impostos para proprietários de veículos. É importante lembrar que cada estado pode dispor de taxas diferentes!

Use o décimo terceiro salário de forma inteligente

Apesar dos gastos do começo do ano, os trabalhadores da CLT recebem o bonificação de natal, referente ao décimo terceiro salário. Ao invés de utilizar este valor para adquirir novos produtos, que tal você quitar as velhas dívidas?

Deixando tudo em dias, você terá um maior poder de compra no ano seguinte e não vai precisar passar o ano com o bolso apertado. Separe bem o dinheiro e use-o com inteligência!

Parceles suas compras em poucos meses

De acordo com especialistas em finanças, o ideal para quem quer organizar sua vida no sentido econômico é aposentar o cartão de crédito. Entretanto, utilizar o recurso ás vezes é inevitável.

Se não puder usar o cartão, a dica é parcelar a compra em poucas vezes. A parcela ideal é de até três meses, pois assim, evita a cobrança de juros pelo produto e não compromete por muito tempo o seu salário.

Estabeleça um valor determinado para poupar

Quem quer maior segurança financeira, precisa começar a poupar. O problema é que muitas pessoas na hora de colocar a atitude em prática, depositam um grande valor no início e passam a diminui-lo com o tempo.

Especialistas da área indicam que o mais recomendado é estabelecer uma cifra fixa mensal para colocar na poupança, sem comprometer as suas necessidades pessoais.

Se possível, pague à vista

Uma outra dica importante para se organizar financeiramente é tentar pagar à vista, princialmente no período de final de ano. Assim você não começará o ano devendo.

Além de poder iniciar um novo período mais tranquilo financeiramente, você não terá o seu dinheiro comprometido por muitos meses e poderá controlar suas finanças.

É possível pagar impostos com cartão de credito?

Os impostos e tributos anuais não precisam ser um pesadelo. Podendo ser facilmente quitados em parcelas, com descontos é até com um prazo para pagamento bem atraente. A legislação de cada estado influencia nessas condições, o IPVA 2019 RJ, por exemplo, possui base de cálculo igual ao IPVA de outras regiões, mas as condições de pagamento não são as mesmas.

Impostos mais comuns

Existem aqueles impostos e taxas que já estão estabelecidos para pagamento anual, por isso são mais comuns e estão presente na lista de contas à pagar dos brasileiros.

Hoje, todas as ações de compra e venda, serviços e comércios, geram impostos. Todo o valor é destinado ao governo, seja federal, estadual ou municipal. Uma forma que o Estado encontrou de cobrar pelas ações realizadas.

É por isso que sonegar imposto é crime, pois além de deixar de pagar uma parcela do lucro para o governo, a pessoa não identifica quais foram os seus ganhos.

Dentro da lista dos impostos mais comuns, estão:

  • Declaração imposto de renda pessoa física;
  • Imposto sobre a Propriedade de Veículo Automotores (IPVA);
  • Imposto sobre a Predial e Territorial Urbano (IPTU).

Formas de pagamento dos tributos anuais

Como foi dito, a forma de cobrança e pagamento dos impostos variam principalmente com a legislação de cada estado. Mesmo que seja utilizada a mesma base de cálculo para todo o país, os valores que se multiplicam são diferentes dependendo da região.

A maioria dos órgãos responsáveis pelos tributos definem que a contribuição seja feita:

  • Á vista: com desconto;
  • Parcelado: sem desconto;
  • Débito automático: o desconto varia de acordo com a forma de pagamento, se à vista ou à prazo.

O IPVA, por exemplo, é pago em parcelas que variam de 3 a 8 e em datas que vão de acordo com o último número da placa do veículo. O IPTU chega ao parcelamento de até 10 cotas, e os prazos podem ser diferentes conforme a organização da Prefeitura Municipal.

No Imposto de Renda o parcelamento é permitido quando o valor for superior a R$100. O pagamento de todos os impostos é feito com a geração de um código de barras, e para o IPVA é possível pagar apenas com o RENAVAM do veículo.

Como pagar os impostos e taxas

Na maioria das regiões o recebimento dos impostos é feito em dinheiro. Em alguns casos é permitido o débito em conta, como o Bradesco IPVA 2019 RJ.

Neste caso, o Bradesco criou uma ferramenta própria para que o seu correntista possa pagar o imposto utilizando o internet banking, App e debitando o valor da conta. Possibilitando ainda, o pagamento com o cartão de crédito.

Outro banco que possibilita o pagamento com o cartão de crédito é o Banco do Brasil. O ideal é consultar na agência em que é correntista, se o seu cartão e conta permitem o pagamento no crédito.

As bandeira que autorizam esse processo são a MasterCard e Visa.

Quanto custa um curso de técnico em enfermagem?

A área de saúde tem sido bastante  procurada no mercado e quem quer estar capacitado neste meio em pouco tempo, pode acabar optando por realizar um curo técnico. Mas será que esta formação se encaixa no seu orçamento? Para entender esta e outra dúvidas, leia o texto a seguir e saiba quanto custa de um curso técnico de enfermagem:

O curso de enfermagem

O profissional de enfermagem tem grande responsabilidade, ele terá a função de prestar os primeiros socorros e diversos outros atendimentos aos pacientes. Esta área é uma das menos visadas da saúde, entretanto tem ganhad

o cada vez mais espaço e conquistado mais e mais estudantes.

As vantagens deste curso são diversas, inclusive para a área de atuação. Você pode trabalhar em hospitais públicos e privados, assim como prestar serviços particulares e cuidando de idosos.

O piso salarial para o técnico de Enfermagem é em média R$ 1.825, mas vale lembrar que pode variar de regão para região devido à demanda do mercado de trabalho.

Quanto custa o curso?

Você já deve saber que o curso técnico tem uma média de custo menor do que a média para uma graduação. Geralmente, o técnico irá durar cerca de dois a três anos.

O valor que o estudante irá pagar pelo curso pode variar de uma instituição para outra, ficando entre R$ 450 e R$ 3,000. Entretanto, é importante mencionar que existem algumas inciativas que podem garantir a sua capacitação com custo zero! É o caso de que realizar a sua inscrição para os cursos gratuitos PRONATEC 2019.

Você pode conseguir sua vaga para o curso técnico de enfermagem nas melhores instituições técnicas do país! E vale mencionar que você pode optar por outras oportunidades como o ETEC 2019, que também proporciona o acesso à diversas formações de qualidade.

Quais as vantagens do curso técnico?

Como mencionado, o curso técnico terá um custo muito viável, inferior à maioria das modalidades de ensino. E você ainda pode conseguir bolsas de estudo através dos programas de suporte ao estudante.

Para quem precisa se especializar em uma área e começar a trabalhar em breve, deve considerar que o curso técnico dura em média de dois a três anos. Além disso, esta modalidade oferecerá ensino prático e teórico de maneira equilibrada para os seus estudantes.

A qualificação profissional do curso é específica e pode otimizar muito seu tempo e economizar custos. Por isso, muitos jovens e adultos têm preferido realizar o curso técnico em enfermagem.